Academia Brasileira de Neurologia sugere toxina botulínica-A como tratamento para migrânea crônica | Araujo e Fazzito

13 de mar de 2018

Academia Brasileira de Neurologia sugere toxina botulínica-A como tratamento para migrânea crônica

A migrânea crônica é um distúrbio neurológico debilitante de cefaleia primária, conhecido por causar dores e desconfortos que duram pelo menos 15 dias, ou seja, metade do mês, às vezes mais. No entanto, um novo procedimento com aplicação de toxina botulínica-A está sendo sugerido como novo tratamento para os pacientes diagnosticados com o distúrbio.

Apesar de ainda não constar no rol da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a terapia já foi inserida na Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) e possui uma Diretriz de Utilização que foi desenvolvida pela Academia Brasileira de Neurologia junto à Sociedade Brasileira de Cefaleia.

Para a aplicação os pacientes devem atender a critérios de indicação acordados pela Classificação Internacional de Cefaleia, além de possuir diagnóstico clínico. Também será necessário descrever as características da dor, fenômenos associados ao distúrbio e especificar se ocorrem alterações de visão e formigamento nas mãos e na boca.

Segundo Fernando Kowacs, coordenador do Departamento Cientifico de Cefaleia do ABN, “a migrânea é um quadro grave de enxaqueca, transmitida geneticamente, no qual a pessoa tem crises de dor de cabeça acompanhada de intolerância à luz, até mesmo náuseas e vômitos”.

Kowacs afirma ainda que pelo menos 2% da população sofre com esse distúrbio neurológico e que a aplicação da toxina botulínica-A deve atuar na redução de intensidade da dor em dias de crise, mas não será responsável por resolver 100% do problema.

Fonte: Academia Brasileira de Neurologia

Notícias relacionadas

02 de ago de 2018
A Fibrilação Atrial (FA) é caracterizada pelo ritmo irregular dos batimentos cardíacos. Ela ocorre conforme os átrios (câmaras superiores) não batem de maneira coordenada com os ventrículos (câmaras inferiores). Dentre as principais complicações desse problema está o fato de que ela surg...
19 de jul de 2018
Com cerca de 50 milhões de casos espalhados pelo mundo, a Epilepsia é a doença neurológica mais comum. Trata-se de uma alteração temporária e reversível no funcionamento do cérebro, alteração esta que, no Brasil, afeta 1% da população. Para auxiliar esses brasileiros diagnosticados com ...
12 de jul de 2018
Recentemente, falamos sobre os diferentes tipos de dor de cabeça e quais são as principais causas de cada uma delas. Entretanto, 90% dos casos estão relacionados com tensão e enxaqueca, sendo o público feminino o que mais sofre com esse problema. A chamada Cefaleia Tensional é mais comum em pe...