Doenças neurológicas conheça quatro filmes com essa temática | Araujo e Fazzito

01 de fev de 2018

Doenças neurológicas conheça quatro filmes com essa temática

As doenças de Alzheimer e Parkinson, dentre outros tipos de demência, são temas cada vez mais discutidos pela sociedade, uma vez que pesquisas e estudos abordando novas possibilidades de tratamentos e fatores de risco antes desconhecidos têm surgido com maior frequência.

Por se tratar de uma questão bastante delicada, pode ser difícil entrar nesse assunto com a família e amigos e até mesmo procurar um especialista para sanar as dúvidas. Entretanto, alguns filmes podem ajudar a entender melhor sobre esses problemas. Veja a lista abaixo:

Amor e Outras Drogas
Jamie Randall (Jake Gyllenhaal) é vendedor de um laboratório da indústria farmacêutica americana. Sua função é abordar médicos e convencê-los a prescrever os produtos da empresa para os pacientes. Em uma dessas visitas, ele conhece Maggie Murdock (Anne Hathaway), uma jovem de 26 anos que sofre de mal de Parkinson. Com o tempo, Jamie descobre que existe algo mais forte – Maggie sente o mesmo, mas não quer levar o caso adiante devido à sua doença.

Para Sempre Alice
Interpretada por Julianne Moore, a Dra. Alice Howland é uma renomada professora de linguística. Aos poucos, ela começa a se esquecer de algumas palavras e se perder pelas ruas de Manhattan. Alice é diagnosticada com Alzheimer precoce. A doença coloca em prova a força de sua família. Enquanto a relação de Alice com o marido, John (Alec Baldwin), é fragilizada, mãe e filha caçula, Lydia (Kristen Stewart), se aproximam. O filme retrata a dificuldade de aceitação do diagnóstico, tanto para a paciente quanto para a família.

A Teoria de Tudo
Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar seu romance com Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos. O longa narra a vida do cientista que é responsável pela teoria sobre buracos negros e sobre a doença que o confinou a uma cadeira de rodas.

Farol das Orcas
O filme narra a história de uma mãe que busca tratamento para o filho autista. Na história, Beto (Joaquín Furriel), um homem solitário que trabalha em um parque nacional argentino e que passa seus dias observando orcas, leões-marinhos e focas, tem a vida completamente alterada com a chegada da espanhola Lola (Maribel Verdú) e de seu filho Tristan (Joaquín Rapalini), de 11 anos. Desesperada, Lola pede ajuda a Beto para tratar o autismo de Tristan. Relutantemente, ele aceita.

Fonte: Revista Corpo a Corpo

Notícias relacionadas

19 de abr de 2018

A Academia Americana de Neurologia atualizou, no fim do último ano, uma diretriz que reviu pesquisas sobre o comportamento cerebral de pacientes com comprometimento cognitivo leve (CCL). A Academia concluiu que houve melhora neurológica nos pacientes que se exercita...

17 de abr de 2018

O The American Journal of Psychiatry publicou, no início do ano, uma pesquisa que aponta o agravamento dos sintomas da ansiedade em adultos mais velhos, como um possível sinal do desenvolvimento do Alzheimer. Responsáveis pelo estudo, os cientistas do ...

12 de abr de 2018

Cientistas do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) realizaram experimentos com o hormônio ouabaína, que se mostrou capaz de reverter processos inflamatórios causados por um lipopolissacarídeo de bactéria, mais conhecido com...