Entenda como a prática de exercícios físicos reduz o risco de demência | Araujo e Fazzito

27 de fev de 2018

Entenda como a prática de exercícios físicos reduz o risco de demência

Com o objetivo de entender como o cérebro é impactado pela prática de exercícios físicos, um grupo de cientistas observou pessoas com idade entre 50 e 80 anos que praticam exercícios físicos diariamente há mais de uma década. Esses indivíduos foram submetidos ao exame de ressonância magnética para análise de seu fluxo sanguíneo antes e depois de uma pausa de 10 dias em suas rotinas de atividades físicas.

O resultado obtido pelos especialistas é que o fluxo de sangue apresentou piora significativa em pelo menos oito importantes áreas do cérebro, dentre elas o hipocampo, região responsável pela memória e aprendizagem do individuo. A redução de tamanho do hipocampo pode desencadear perda de memória e doenças relacionadas à demência.

Além dos diversos benefícios relacionados ao físico, a prática de exercícios está diretamente relacionada com o aumento do tamanho do hipocampo, podendo diminuir os riscos de demência.

Os especialistas destacaram ainda a importância de praticar exercícios físicos conforme o avanço da idade, já que a população idosa está cada vez maior. A frequência com que se realiza atividades físicas também é muito importante! O suficiente seriam 150 minutos de exercício moderado ou 75 minutos de exercício intenso por semana, a fim de manter a saúde cerebral e cardiovascular em dia.

Fonte: Incrível

Notícias relacionadas

12 de jul de 2018
Recentemente, falamos sobre os diferentes tipos de dor de cabeça e quais são as principais causas de cada uma delas. Entretanto, 90% dos casos estão relacionados com tensão e enxaqueca, sendo o público feminino o que mais sofre com esse problema. A chamada Cefaleia Tensional é mais comum em pe...
10 de jul de 2018
Um estudo liderado por Jeremy Silverman, professor de psiquiatria da Icahn School of Medicine no Mount Sinai, em Nova York, apontou que em indivíduos com idade superior a 85 anos, os níveis elevados de colesterol apresentam menor risco de declínio cognitivo acentuado. O conteúdo comparo...
03 de jul de 2018
Desenvolvido por cientistas da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, um composto experimental reduziu a produção de toxina ligada ao Alzheimer nas células cerebrais produzidas em laboratório. Publicado pela revista Cell Reports, o experimento conta com a produção de células...