Estudo encontra ponto em comum na origem do Parkinson e Alzheimer | Araujo e Fazzito

01 de ago de 2017

Estudo encontra ponto em comum na origem do Parkinson e Alzheimer

A Universidade de Emory, nos Estados Unidos, divulgou uma pesquisa na qual afirma que, apesar da diferença nas regiões afetadas no cérebro e das distintas manifestações nos pacientes, as doenças de Parkinson e Alzheimer possuem um plano bioquímico comum em suas origens.

Segundo o líder da equipe da pesquisa, Keqiang Ye, essas doenças são causadas por toxinas de uma proteína capaz de aderir às células cerebrais. Nos casos de Alzheimer, a proteína adere às células Tau gerando uma espécie de “emaranhado neurofibrilar”, enquanto no Parkinson a proteína alfa-sinucleína forma os corpos de Lewy quando aderida às células cerebrais.

Num estudo anterior, a equipe responsável havia identificado uma enzima chamada AEP, conhecida por cortar a Tau de maneira a torná-la ainda mais tóxica. Entretanto, uma análise realizada em animais para tentar inibir a AEP com a utilização de drogas apontou efeitos positivos no controle do Alzheimer.

Com base nesses resultados, os pesquisadores testaram a AEP também contra a alfa-sinucleína e, ao encontrar pedaços específicos da proteína no tecido cerebral de pacientes com Parkinson, esperam que sejam produzidos inibidores dessa enzima para ajudar a encontrar drogas que previnam a aparição das duas doenças.

Fonte: Yahoo Notícias

Notícias relacionadas

29 de nov de 2018
Conhecido principalmente pela perda progressiva da memória, o Alzheimer ainda é uma doença sobre a qual pouco se sabe. Os inúmeros avanços da medicina não foram capazes de desenvolver um tratamento curativo ou de descobrir a causa exata da doença. Entretanto, muito se fala sobre a possível r...
21 de nov de 2018
Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh e UPMC descobriu que o gene LRRK2 pode ajudar a desenvolver um novo tratamento para o mal de Parkinson. Segundo os responsáveis pelo material, a princípio imaginava-se que o gene causaria a doença apenas quando sofria mu...
04 de out de 2018
Um estudo publicado pela Neurology, a revista médica da Academia Americana de Neurologia, apontou que pessoas mais velhas que sofrem com pressão arterial alta podem apresentar mais sintomas de doenças neurológicas, especificamente lesões cerebrais. O mesmo estudo encontrou também uma ...