Sapato com laser atua contra o congelamento de marcha, sintoma característico do Parkinson | Araujo e Fazzito

28 de mar de 2018

Sapato com laser atua contra o congelamento de marcha, sintoma característico do Parkinson

O congelamento de marcha é um dos sintomas característicos do mal de Parkinson. Isso significa que os indivíduos com a doença podem, simplesmente, interromper os passos enquanto caminham, podendo gerar perda de equilíbrio e até quedas. Entretanto, especialistas identificaram que os pacientes podem superar esse congelamento quando se concentram em algo próximo aos seus pés, como tracejados no pisou ou linhas na calçada, por exemplo.

Sabendo que nem todos os ambientes contam com esses objetos de concentração para a retomada da marcha, pesquisadores da Universidade de Twente, na Holanda, desenvolveram um sapato capaz de projetar uma linha de raio laser próximo aos pés do indivíduo, que pode então se concentrar na luz do laser para voltar a caminhar. O mais curioso disso é que o laser se apaga enquanto o sapato está em movimento, entendendo que o paciente está caminhando.

Um estudo realizado com 21 pacientes diagnosticados com Parkinson, revelou uma redução nos incidentes provocados pelo congelamento de macha, além disso, descobriu-se que o dispositivo também reduziu nesses pacientes o tempo de duração do congelamento. A próxima etapa da pesquisa é desenvolver um sensor capaz de ativar e desativar o laser apenas quando o congelamento for detectado.

Fonte: Tecmundo

Notícias relacionadas

17 de abr de 2018

O The American Journal of Psychiatry publicou, no início do ano, uma pesquisa que aponta o agravamento dos sintomas da ansiedade em adultos mais velhos, como um possível sinal do desenvolvimento do Alzheimer. Responsáveis pelo estudo, os cientistas do ...

12 de abr de 2018

Cientistas do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) realizaram experimentos com o hormônio ouabaína, que se mostrou capaz de reverter processos inflamatórios causados por um lipopolissacarídeo de bactéria, mais conhecido com...

10 de abr de 2018

Pesquisadores da Northwestern University e Colorado University, nos Estados Unidos, afirmam que caminhar intensamente quatro vezes por semana pelo período de meia hora pode retardar o avanço do Parkinson em pacientes diagnosticados há menos de cinco anos. Nesse pri...