A lombalgia pode ser dividida em aguda, subaguda e crônica. Esta divisão pode parecer superficial, mas divide-se em dois grandes grupos, a lombalgia aguda, geralmente com boa evolução e a lombalgia crônica, representando um verdadeiro problema de saúde pública.

A dor na coluna lombar é a principal causa de afastamento de trabalhadores do seu ambiente de trabalho e está relacionada à atividades laborais que exigem sustentação prolongada de tronco com sobrecarga.

Entre 10% – 20% os casos de dor lombar evoluem para o quadro crônico, os quais são responsáveis pela maior parte dos custos associados as doenças ocupacionais.

Estima-se que os fatores psicológicos são de relevância na evolução da patologia aguda para a crônica e posterior incapacidade funcional, portanto, deve-se considerar o perfil do indivíduo com dor lombar, já que o equilíbrio entre os fatores psíquicos dos aspectos culturais e econômicos se traduzem pela boa resposta terapêutica.

O tratamento

O tratamento está baseado em terapia medicamentosa, fisioterapia e a reeducação do paciente, através da postura, pois a postura é um dos vilões que leva a essas disfunções. Sendo esses os alicerces para o tratamento da dor lombar ocupacional.

O tratamento fisioterapêutico para dor lombar pode ser feito com uso de aparelhos e alongamentos para alívio da dor, além de massagens para relaxar os músculos tensos e correção postural através de exercícios para eliminar a causa da dor.

Além disso, o tratamento indicado pelo médico pode ser feito com medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos, corticosteroides, infiltração e ainda pode ser útil recorrer à acupuntura para reequilíbrio energético e alívio da dor.

Veja alguns exercícios indicados pelo fisioterapeuta da Clínica Araújo & Fazzito, Ricardo Cezar Carvalho:

Para evitar a rotação da coluna deve-se iniciar o fortalecimento muscular com exercícios de estabilidade estática em cadeia cinética fechada e, por isso, podem ser usados exercícios sentados, deitados ou com bolas de diversos tamanhos para oferecer resistência ou suporte.

O fortalecimento pode inicialmente ser realizado com a resistência da mão do terapeuta e, aos poucos, devem ser introduzidos diferentes pesos para que o músculo se recupere. As bandas elásticas, como os therabands, devem ser utilizadas antes dos pesinhos, até sua resistência deve ir aumentando.

A seguir podem ser introduzidos os exercícios de estabilidade rotatória em cadeia cinética aberta (sem apoio dos pés), que podem ser realizados com a pessoa deitada de lado, para o fortalecimento dos glúteos e região anterior e lateral das coxas. Para progredir, podem ser usados exercícios de mobilidade que trabalham os 4 membros ao mesmo tempo e favorecem a movimentação do corpo com ou sem rotação da coluna.

Em último lugar devem ser usados os exercícios de coordenação motora porque requerem agilidade e ausência completa de dor, sendo útil para melhorar todo funcionamento muscular e a cura.